Eclipse Solar vem aí – Saiba como observar em segurança

Estamos a um mês do principal evento astronômico dos últimos anos no Brasil. O Eclipse Solar de 14 de outubro será visível… [ ]

15 de setembro de 2023

eclipse

Estamos a um mês do principal evento astronômico dos últimos anos no Brasil. O Eclipse Solar de 14 de outubro será visível em todo o país. Em grande parte dele será um eclipse parcial, mas de uma estreita faixa que passa pelo Norte e Nordeste brasileiro, será um espetacular Eclipse Anular do Sol. 

Quem gosta de apreciar fenômenos astronômicos como este, já vive uma expectativa crescente, contando os dias para o 14 de outubro. Mas é preciso estar atento, porque observar um eclipse solar pode ser muito perigoso, e se você fizer da maneira errada pode até perder a visão.

O perigo não está exatamente no eclipse, e sim em olhar para o Sol. Não existe forma segura de olhar diretamente para o astro rei sem pôr em risco a saúde da sua visão. Por isso, seja durante um eclipse, ou em qualquer outro momento, NUNCA olhe para o Sol sem utilizar equipamentos adequados ou filtros especialmente projetados para esta finalidade.

Agora é claro que você não quer perder um fenômeno tão raro e bonito quanto um eclipse solar, então, vamos entender exatamente qual o problema e quais são as formas seguras de se observar o Sol e o eclipse. 

Infelizmente, a grande maioria da população não tem acesso a equipamentos astronômicos e ainda mais para observação solar. Mas o bom é dá pra acompanhar a evolução de um eclipse do Sol sem instrumento óptico. Mas é imprescindível o uso de um filtro adequado e atenção: não é qualquer filtro.

Sabe aquele óculos de Sol super caro, com lentes adaptáveis e tecnologia alienígena? Não serve. Nenhum óculos de sol oferece proteção suficiente para se olhar diretamente para nossa estrela mãe. Por outro lado, existem óculos próprios para isso, alguns inclusive bem baratos. Geralmente são chamados “óculos para eclipse solar” e essa é a melhor forma e a mais segura de se olhar diretamente para o Sol. 

Se não conseguir um óculos como esse, você pode proteger a sua visão com o chamado “vidro de soldador”, que é aquele vidro escuro utilizado nas máscaras de solda elétrica. Ele pode ser encontrado facilmente em lojas de ferramentas e material de construção, mas atenção: Você precisa procurar o vidro de soldador número 14 ou mais. Esses vidros são projetados para bloquear muita luz, mas principalmente a luz ultravioleta que é a mais nociva. Por isso eles oferecem proteção para se olhar para o Sol, mas só a partir do número 14 e ainda assim, não é recomendado olhar por muito tempo. Olha-se uns 10 segundos e deixa a vista descansar por uns 30 segundos antes de olhar novamente.

Toda essa preocupação existe porque nossos olhos são muito sensíveis e quando olhamos diretamente para o Sol, a luz e o calor concentrado em nossa retina podem causar danos permanentes às células. De cara, sentimos apenas um incômodo, nem doi muito. Só que os prejuízos à visão vem com o tempo. Isso porque essas feridas causadas pelo Sol no interior do glóbulo ocular podem desencadear um processo inflamatório que pode levar inclusive à cegueira definitiva. 

E esse problema pode ser agravado se você olhar para o Sol através de uma luneta, binóculos, telescópio ou outro tipo de equipamento óptico, sem a proteção adequada. O problema é que esses equipamentos são projetados para captar a luz tênue de nebulosas, estrelas e galáxias distantes e concentrar essa luz em nossos olhos. Só que a luminosidade do Sol não é nada tênue. É intensa e inclui desde o calor do infravermelho até os nocivos raios ultravioletas. 

Você já ouviu falar em fogão solar? Tem o mesmo princípio de funcionamento: concentra a luz do Sol em um único ponto para que possamos colocar ali nossa panela e cozinhar o alimento. Logo, tentar observar o Sol com algum equipamento óptico sem proteção, é uma forma pouco inteligente de cozinhar os próprios olhos. Mas, e como proteger nosso equipamento?

A observação do Sol é algo tão tão especial que existe um tipo de telescópio próprio para isso. Telescópios solares não precisam ser grandes porque não precisam captar muita luz, mas precisam de um filtro especialmente projetado para isso. Geralmente é um filtro H-Alfa que permite a passagem apenas de uma faixa muito estreita do espectro de luz visível e possibilita a observação de protuberâncias, filamentos, manchas solares e muitos outros detalhes da superfície do Sol. Tudo isso em total segurança.

É de se esperar que um equipamento como esse seja bastante caro, e é. Por isso, o ideal para seres humanos, brasileiros e assalariados, como a maioria de nós, é algo mais acessível. O bom é que existem filtros que nos permitem proteger o nosso equipamento astronômico para fazermos observação solar sem expor a nossa visão a riscos. Existem no mercado dois tipos de filtros: o da Baader Planetarium, que é prateado e bloqueia a luz solar de maneira uniforme, o que faz o Sol aparecer esbranquiçado; e o da Thousand Oaks, um polímero escuro que bloqueia mais as componentes azul e ultravioleta, exibindo um Sol mais amarelado. 

Ambos bloqueiam mais de 99,99% da luz do Sol, mas se teu telescópio é grande, é uma boa ideia reduzir ainda mais a passagem da luz, utilizando uma tampa na frente dele com um furo menor, de uns 5 cm para passagem da luz do Sol. Esses filtros podem ser encontrados prontos e sob medida para encaixar no telescópio na forma de folhas, que podem ser cortadas adaptadas em qualquer instrumento. Mas lembre-se: elas precisam ser colocadas na frente do equipamento para que a proteção seja efetiva e para evitar danificar o instrumento, o filtro e o seu olho.

E sabe aqueles óculos para eclipse solar? Eles são feitos com filtros de observação do Sol. Ou seja, se você tiver um sobressalente, pode utilizá-lo para proteger o seu equipamento.

Fora essas alternativas, existe também o método da projeção, mas este, se não for muito bem feito pode danificar seu equipamento, então prefiro não recomendar. Não tente proteger seu telescópio com outra coisa. Não existe improviso seguro para observação solar, ainda mais através de instrumentos. Se não tiver a proteção adequada, melhor não arriscar. 

Se no dia, não tiver os filtros apropriados para observação, ainda existem métodos indiretos de acompanhar a evolução do eclipse, como utilizando uma caixa com um furo de agulha para projetar o Sol, ou através da projeção daquela luz que vaza pela fresta do telhado e que projeta o Sol no piso. 

Você também vai poder acompanhar o eclipse anular do Sol de 14 de outubro, de uma forma muito segura e confortável, através de uma transmissão ao vivo do Olhar Espacial. Só não pode deixar de ver esse magnífico evento em total segurança para sua visão.

Via Olhar Digital

0 Comentários

Deixe o seu comentário!